Autores da literatura infantil brasileira para as crianças conhecerem

Conheça alguns dos maiores autores da literatura infantil do Brasil, para apresentar às crianças e incentivar o gosto pela leitura.
Autores da literatura infantil
Ouça o post

Conheça alguns dos maiores autores da literatura infantil do Brasil, para apresentar às crianças e incentivar o gosto pela leitura.

No dia 25 de julho é comemorado o Dia Nacional do Escritor. Essa data foi escolhida em 1960, pois foi o dia em que aconteceu o 1º Festival do Escritor Brasileiro, no Rio de Janeiro. Desde então, nesta data homenageamos os escritores brasileiros e relembramos a importância da valorização da literatura nacional para a nossa cultura e a identidade.

O contato com obras nacionais pode começar desde cedo, afinal, é na infância que começa a formação do indivíduo, tanto como leitor quanto como cidadão. Por isso, neste Dia do Escritor vamos celebrar grandes autores da literatura infantil brasileira. Com certeza você já teve contato com seus livros, e muito provavelmente eles fazem parte das suas memórias de infância. 

A Literatura Infantil Brasileira

Escrever literatura infantil sempre foi um desafio, afinal, o autor, normalmente adulto, precisa encontrar maneiras de se conectar com um público muito diferente: as crianças. Como conquistá-las? O que elas procuram em uma história? O que faz com que se lembrem do livro para sempre?

A literatura infantil começou a ser publicada no Brasil apenas no início do século 19, ou seja, tem mais ou menos 200 anos de história. Nesse tempo, conquistou leitores, emocionou gerações e colocou grandes autores infantis entre os maiores escritores do país. 


Livros de poesia, contos, fábulas, tirinhas ou novelas juvenis: não importa o gênero, o importante é que a literatura infantil forneça às crianças a chave do mundo da leitura. No caso da literatura nacional, isso se torna ainda mais potente através da identificação com a realidade da criança, contribuindo para a construção de sua identidade.  

Grandes autores da literatura infantil

São muitos os autores da literatura infantil brasileira, cada um com seu próprio estilo e peculiaridades. Ler para as crianças obras de vários autores é importante para que criem repertório de leitura, e que então possam descobrir de quais gêneros e estilos gostam mais.

Veja a seguir 18 grandes nomes da literatura infantil brasileira e conheça um pouco sobre suas obras:

Ana Maria Machado

Ana Maria Machado

Ana Maria Machado é escritora e jornalista, e foi a primeira autora de literatura infantil a fazer parte da Academia Brasileira de Letras. Seu primeiro livro de literatura infantil publicado foi “Bento que Bento é o Frade”, lançado em 1977. Com o sucesso da obra, nunca mais parou de escrever. Tem mais de cem livros publicados, com mais de 20 milhões de exemplares vendidos, publicados em vinte idiomas. Recebeu dezenas de prêmios, entre eles, 3 Prêmios Jabuti, o mais tradicional da literatura brasileira.

Dica de livro: Menina Bonita do Laço de Fita, lançado em 1986, conta a história de uma linda menina negra que desperta a admiração de um coelho branco, que deseja ter uma filha tão pretinha quanto ela e tenta descobrir o seu segredo. 

Edimilson de Almeida Pereira

Natural de Juiz de Fora (MG), Edimilson de Almeida Pereira é poeta, professor universitário e um dos mais premiados autores da literatura brasileira, com textos traduzidos e publicados na Inglaterra, Itália, Espanha, França, Portugal, Alemanha e Estados Unidos. Entre seus títulos para o público infantil estão: Poemas para Ler com Palmas, Histórias Trazidas por um Cavalo-marinho e Os Reizinhos de Congo.

Dica de livro: O Primeiro Menino usa recursos poéticos da palavra e da imagem para conduzir os leitores por um enigma que se esconde no começo de todas as coisas. Livro de perguntas e respostas, é também um convite para o uso da imaginação como força libertadora para os leitores de todas as idades.

Eva Furnari

Eva Furnari

Eva Furnari nasceu na Itália em 1948, e chegou ao Brasil em 1950, quando começou a morar em São Paulo. Formada em Arquitetura, é escritora e ilustradora de livros infantis desde 1980. Ao longo de sua carreira recebeu diversos prêmios, entre eles, o Jabuti de melhor ilustração em 1991. A obra de Eva tem um estilo especialmente lúdico, criando histórias fantásticas que existem apenas na imaginação, sempre com personagens com características e nomes muito pouco convencionais. 

Dica de livro: Drufs, vencedor do Prêmio Jabuti de 2017. Nessa história, os protagonistas são dedos chamados Drufs. Eles são pequenos, mas bem parecidos conosco. Na escola dos Drufs, a professora pede que os alunos retratem suas famílias, e é assim que o livro trata de forma lúdica e divertida a diversidade das formações familiares.

Flávia Muniz

Flávia Muniz se dedica à literatura infantil há mais de 30 anos. Nesse período a autora, nascida em 1956, já publicou mais de 70 livros no Brasil e no mundo, além de ter sido indicada ao prêmio literário Jabuti por três vezes. A escritora tem uma coleção imensa de histórias para contar; é fã de bichos, de filmes e de Charles Chaplin. Em 2017 transformou sua admiração pelo ator e diretor em um livro que homenageia o cinema o mudo. A obra foi lançada junto com a FTD.

Dica de livro: Rita, não grita! foi lançado em 1985 e conta a história de Rita: uma menina gritadeira e de cabelo espetado. No livro, Rita vê na prática as consequências de sua mania de gritar à toa e aprende a largar os gritos para reconquistar seus amigos e familiares.

Januária Cristina Alves

Com mais de 52 livros publicados, Januária Cristina Alves enxerga os livros como grandes companheiros, que desde a infância servem como um farol que traz luz e esperança. A escritora, jornalista e mestre em comunicação social pela USP, já ganhou por duas vezes o Prêmio Jabuti de Literatura, premiação de maior renome na América Latina.


Dica de livro: Agora Eu Sou é um livro personalizado lançado pela Dentro da História em parceria com a FTD. Nessa aventura, Januária leva os pequenos aos palcos de teatro e mostra a infinidade de personagens que a criança pode ser, desde detetive até astronauta. Além de conhecer mais essa história da literatura infantil, a criança também aprende os detalhes por trás das profissões apresentadas.

Lygia Bojunga

Natural de Pelotas, no Rio Grande do Sul, Lygia Bojunga iniciou sua trajetória na literatura infantil no ano de 1972 com o lançamento do livro “Os Colegas”. Em sua carreira, recebeu importantes troféus como o Prêmio Jabuti, o Prêmio Hans Christian Andersen, onde foi a primeira mulher fora dos Estados Unidos e Europa a conquistá-lo. Além deles, no ano de 2004 a escritora recebeu de Vitória, princesa da Suécia, o Prêmio Astrid Lindgren de Literatura pelo conjunto de toda sua obra.

Dica de livro: A Bolsa Amarela é um dos livros mais conhecidos de Lygia. Na história conhecemos Raquel, uma menina que esconde a vontade de não crescer, de ser um menino e de ser escritora em sua bolsa amarela. Além dessas vontades inusitadas, Raquel também abriga em sua bolsa alguns amigos secretos como o galo Afonso e um alfinete de fralda.

Maria Amália Camargo

Formada em Letras pela Universidade de São Paulo, Maria Amália Camargo decidiu conhecer mais da literatura infantil em 2006, quando escreveu seu primeiro livro para o público infantojuvenil. Desde então a autora já publicou mais de 20 livros e segue estimulando os pequenos a irem atrás das respostas para as perguntas que fazem parte de suas obras. Além disso, Maria afirma que vive sonhando acordada com novas histórias.

Dica de livro: A Fuga do Mafagafo é uma história super divertida que traz em seu texto diversas rimas e trava-línguas. Enquanto procura pelo Mafagafo, a criança se diverte tentando falar sem errar os trava-línguas da história, além de ampliar seu vocabulário. Esse livro é personalizado com o personagem e o nome da criança e foi lançado pela Dentro da História.

Mauricio de Sousa

Mauricio de Sousa

Mauricio de Sousa é um dos mais famosos cartunistas do Brasil, membro da Academia Paulista de Letras e, é claro, criador da Turma da Mônica, que já estimulou várias gerações de crianças a criarem o hábito da leitura através das histórias em quadrinhos. 

Desde pequeno, Mauricio gostava de desenhar e fazia ilustrações e cartazes para rádios e jornais. O cachorro Bidu foi o primeiro personagem publicado no jornal Folha da Manhã, em 1959. Desde então, sua grande fonte de inspiração para criar os personagens da Turma da Mônica veio de sua própria família. Pai de nove filhos, se inspirou neles para criar personagens como Mônica, Magali, Nimbus, Do Contra e Marina.

Dica de livro: Uma Aventura no Limoeiro, o livro personalizado da Turma da Mônica lançado pela Dentro da História. Neste livro qualquer criança pode criar seu próprio personagem e fazer parte de uma aventura com a turminha. O best-seller é o livro mais vendido da história da Turma da Mônica.

Monteiro Lobato

Monteiro Lobato, um dos maiores autores da literatura infantil brasileira

Monteiro Lobato é conhecido como o pai da literatura infantil no Brasil, por ter sido um dos primeiros a desenvolver um estilo de escrita com linguagem simples onde realidade e fantasia estão lado a lado. 

Sua obra mais famosa é o “Sítio do Picapau Amarelo”, composta por 23 volumes das aventuras com personagens icônicos como a boneca Emília, o sabugo Visconde de Sabugosa, a Dona Benta e seus netos, Pedrinho e Narizinho. 

Dica de Livro: As Caçadas de Pedrinho, versão personalizada do clássico do Sítio do Picapau Amarelo. Adaptado do texto original, esse livro permite que a criança faça parte do universo de Monteiro Lobato, sendo uma forma interativa de incentivar a leitura e o contato com a obra clássica da literatura brasileira.

Nilma Lino Gomes

Nilma Lino Gomes é pedagoga, mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais e autora de diversas obras. Seus livros buscam trazer a importância da população negra para a construção da identidade social do Brasil, além de reforçar a urgência da luta contra o racismo.

Dica de livro: Betina conta a história de uma garota que aprendeu a arte do penteado com sua avó e de como essa tradição foi herdada por muitas gerações. Consciente de seu legado, Betina decide espalhar a arte do penteado para outras pessoas além de sua família.

Oswaldo Faustino

Jornalista e escritor, Oswaldo Faustino já atuou em diversos veículos de comunicação como TV, rádio e mídia impressa. Em 1999 começou a se aventurar na coautoria de títulos voltados ao público infantil. Desde então segue fascinado por esse universo e também pelas relações etnico-raciais.

Dica de livro: Luana – A Menina que viu o Brasil Neném leva o leitor a viajar através do berimbau mágico de Luana para diferentes momentos da história do Brasil. As viagens consistem em apresentar determinadas épocas e despertar a importância de nossa diversidade e cultura.

Pedro Bandeira

Nascido em Santos no dia 9 de março de 1942, Pedro Bandeira deu início à jornada na literatura com o livro O Dinossauro que Fazia Au-Au. Além dessa obra, o autor também publicou a história O Fantástico Mistério de Feiurinha, que lhe rendeu o Prêmio Jabuti de literatura no ano de 1986. Pedro Bandeira é um dos autores da literatura infantil mais publicados e já escreveu mais de 20 livros.

Dica de livro: O Fantástico Mistério de Feiurinha conta a história da princesa Feiurinha que desaparece de forma repentina. Para salvá-la e impedir que ela seja esquecida para sempre, as outras princesas se unem para encontrar Feiurinha. No ano de 2009, o livro foi adaptado para o cinema.

Rafael Calça

Rafael Calça é roteirista de quadrinhos e ilustrador, nascido em 1984, em São Paulo. Foi autor dos HQs Jockey (2015) e Dueto (2013) e colaborou em diversas publicações com editoras como Abril, Ática, Globo, Leya e Moderna. Em 2019 foi vencedor do Prêmio Jabuti com a graphic novel Jeremias, publicação da Graphic MSP.

Dica de livro: A graphic novel Jeremias foi o primeiro título da Mauricio de Sousa Produções a vencer um Prêmio Jabuti. O roteirista Rafael Calça e o ilustrador Jefferson Costa dão vida a uma história forte, dura, emocionante, na qual o personagem Jeremias da Turma da Mônica lidará pela primeira vez com o preconceito por causa da cor da sua pele. A história é recheada de dor, superação, aprendizado e preparação para a vida.

Ronnie Corazza

Ronnie Corazza é escritor, arte educador, contador de histórias, ator e possui em sua bagagem o desejo de levar o universo da literatura para os pequenos. O escritor deu início à sua jornada na educação com o personagem Zé e desde então atua na formação de professores e no desenvolvimento de histórias infantis.


Dica de livro: Jaquelino, o Jacaré Amigo é um livro personalizado publicado pela Dentro da História. Na narrativa a criança aprende sobre a importância da escovação dos dentes de forma lúdica e divertida.

Sylvia Orthof

Sylvia Orthof foi uma das principais escritoras de literatura infantil. Nascida em 1932, no Rio de Janeiro, Sylvia publicou mais de 90 livros infantis e recebeu diversos prêmios literários, entre eles o Prêmio Jabuti, conquistado em 1983. Além de suas obras, ela também fundou a Casa de Ensaios Sylvia Orthof, exclusivamente dedicada a espetáculos infantis e situada no Rio de Janeiro.

Dica de livro: A vaca Mimosa e a mosca Zenilda levou a autora a conquistar o Prêmio Jabuti de Literatura em 1983. O livro conta a história da vaca Mimosa e de sua inusitada amiga Zenilda: uma mosca que a achava tão linda que não saia de perto de seus ouvidos, deixando Mimosa toda atrapalhada com o zunido da mosca.

Tino Freitas

Além de escritor, Tino Freitas é músico, jornalista e contador de histórias. O autor se vê como um condutor que leva os leitores para jornadas através da fantasia. Por essa razão, o humor é uma característica sempre presente em seus livros. O cearense que iniciou sua jornada como representante da literatura infantil há mais de 10 anos, já ganhou o Prêmio Jabuti: troféu literário mais tradicional do Brasil e de maior destaque da América Latina.

Dica de livro: Que confusão! é uma aventura personalizada onde a criança cria o seu próprio personagem. Com a ajuda de Pê e Bô, o pequeno ou pequena sai em busca de sua iguana de estimação que se perdeu no circo! Esse livro personalizado foi desenvolvido pela Dentro da História em parceria com a FTD Educação.

Yaguare Yama

Yaguarê Yamã é escritor, ilustrador, professor e artista plástico indígena nascido no Amazonas. Filho do povo Maraguá, formou-se em geografia pela Universidade de Santo Amaro (UNISA).  Autor de onze livros infantis e juvenis, Yaguarê fala, além do maraguá, seu idioma nacional, o Nhengatu (tupi moderno), o tupi antigo e o português.

Atualmente mora na aldeia Yaguawajar, é filiado ao Nearin – Núcleo de Escritores e Artistas Indígenas e faz parte do INBRAPI – Instituto Indígena Brasileiro para Propriedade intelectual.

Dica de livros: Pequenas Guerreiras traz a história de cinco meninas, filhas das amazonas, lendárias guerreiras indígenas que deram nome ao estado homônimo, na região Norte do Brasil. Um dia, elas vão brincar no lago Espelho da Lua, na região do rio Nhamundá, e são surpreendidas por indígenas inimigos.

Ziraldo

Ziraldo

Cartunista, desenhista, jornalista, cronista, chargista, pintor e dramaturgo brasileiro: Ziraldo é muitos em um só. Foi um dos fundadores da revista humorística “O Pasquim” durante a ditadura militar, mas na literatura infantil o destaque de sua carreira é a criação do personagem Menino Maluquinho. 

Em 1980 foi lançado o livro com seu nome: “O Menino Maluquinho”, que fez parte da infância de muitos brasileiros já teve mais de 2 milhões de exemplares vendidos. Serviu de inspiração para peças de teatro, filme, quadrinhos e seriado de TV.

Dica de livro: O Show de Talentos do Menino Maluquinho é a último lançamento do personagem de Ziraldo, em versão personalizada que permite que as crianças sejam protagonistas da história ao lado do famoso garoto da panela na cabeça.

Veja também: Literatura infantil e o poder das histórias – Entrevista com a autora Januária Cristina Alves

Total
9
Shares
6 comentários
    1. Olá Perseu, tudo bem?
      Muito obrigada pelo comentário. A princípio fizemos uma lista com autores “clássicos” da literatura infantil nacional, e você tem razão ao apontar como essa classificação foi muito pouco diversa. Já adicionamos novos autores e vamos continuar expandindo a lista com novos nomes.
      Um abraço da nossa equipe!

  1. Gostei muitíssimo da lista. Bem diversificada e saindo do óbvio.
    Sem desmerecer os grandes, mais tradicionais e conhecidos nomes da literatura infanto juvenil, mas, precisamos ampliar sim esse leque, até porque, todos os outros que escrevem hoje foi porque tiveram grandes mestres e inspiradores.
    Cheguei aqui pesquisando autores para este público no curso de Pedagogia que estou realizando. Saio satisfeita.
    Parabéns!

    1. Oie, Cristiane! Tudo bem?

      Que alegria saber que você gostou da lista que fizemos e que ela te ajudou em sua pesquisa! 😀
      Desejamos que esses e outros nomes da literatura infanto juvenil sejam cada vez mais conhecidos pelas crianças e jovens.

      Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas