Brincar sozinho é importante! Saiba como e por que incentivar seu filho

5 min. leitura

brincar sozinho com bloco de construção
Ouça o post
Voiced by Amazon Polly

Nem sempre é fácil reagir a um pedido como esse: “Mamãe, brinca comigo?” ou “Papai, vamos brincar?”. É comum que mães e pais fiquem divididos entre suas tarefas diárias e o seu desejo de compartilhar momentos especiais brincando com os filhos. A boa notícia é que, embora brincar interagindo com os pais e outras crianças seja importante, brincar sozinho também é bom para os pequenos.

Os momentos de diversão entre pais e filhos fortalecem os vínculos afetivos, mas por outro lado é essencial saber dar espaço para a criança brincar, se divertir e aprender por conta própria. Isso é um marco importante no desenvolvimento dos filhos e, como bônus, os pais ganham alguns minutos para si mesmos!

Os benefícios de brincar sozinho

Os primeiros meses com um bebê exigem muito dos seus responsáveis. São horas ninando, cuidando, cantando, jogando e até rolando no chão com os pequenos. Brincar com os pais é comprovadamente positivo para o desenvolvimento infantil: neurocientistas comprovaram que a interação da criança com o adulto gera sentimentos de segurança e prazer, fatores imprescindíveis para a saúde mental, como mostra um estudo encomendado pela Bauducco.

Porém, com o tempo, a criança também deve ser estimulada a se divertir sozinha em certos momentos. Isso trará diversos benefícios para o seu desenvolvimento e também para os pais.

Veja abaixo algumas dos principais motivos para incentivar o seu filho a brincar sozinho:

Incentiva a imaginação

As crianças são naturalmente criativas e têm uma imaginação super potente. Quando adultos participam das brincadeiras, às vezes acabam tomando as rédeas e guiando a criança, interferindo sem querer no protagonismo dela.

Brincando sozinho, o pequeno estará mais livre para imaginar, inventar histórias, conversas, e criar mundos por conta própria. Nesse outro artigo, demos dicas de como incentivar a criatividade e a imaginação através de brincadeiras inspiradas em livros.

Desenvolve independência social

Ser capaz de brincar sozinho é uma das primeiras formas de independência que a criança pode adquirir. Assim, ela não precisará de adultos ou de coleguinhas o tempo todo, e essa independência social é importante para se sentir confortável em outras situações no futuro.

À medida que os filhos crescem, eles entendem que nem sempre terão alguém ao seu lado a cada momento, por isso é importante ter a noção de que não dependem de ninguém para se divertir. Isso faz com que sejam indivíduos mais confiantes e satisfeitos.

Traz calma e diminui a agitação

Muitas vezes, brincar em grupo deixa as crianças agitadas por conta de todas as interações envolvidas.  Brincar sozinho, por outro lado, tende a fazer com que os pequenos se divirtam de forma mais tranquila com seus brinquedos. Diversas brincadeiras tradicionais e jogos que são bons para se divertir sozinho desenvolvem a concentração, como blocos de construção por exemplo, o que contribui para acalmar a criança.

Prepara a criança para a escola

Antes de o filho entrar na escola, os pais são seus companheiros preferidos para brincar.

Quando os responsáveis recuam e mostram que também é legal brincar sozinho, a criança entende que nem sempre os seus responsáveis estarão junto com ela.

Isso é importante para quando o pequeno começar a frequentar a escola. Crianças que estão mais acostumadas a brincar sozinhas tendem a enfrentar melhor novas situações longe da companhia dos pais, e podem se sentir mais tranquilas em uma nova experiência como a escola.

Garante mais tempo livre para os pais

Todo mundo merece tempo para si, incluindo mães e pais. Outra vantagem de ensinar o filho a brincar sozinho é que os adultos ganham uma pausa muito necessária. Com isso, finalmente os pais serão capazes de fazer pequenas tarefas, como tirar a roupa da máquina ou até escovar os dentes, sem ter que pedir que outro adulto cuide de seu filho naqueles minutos.

Este não é o objetivo principal, é claro, mas o tempo que os pais passam sozinhos também é um bom exemplo para as crianças. O filho podem ver que a mãe ou pai gostam de fazer as coisas que amam sozinhos e que não precisam da atenção de outra pessoa para isso.

Receba dicas e novidades por email:

Dicas para incentivar a criança a brincar sozinha

Todas as crianças nascem com a capacidade e a vontade de exercitar a sua imaginação. Os pequenos criam verdadeiros mundos quando brincam, onde são super-heróis, alienígenas, monstros e princesas. De diversas formas, a nossa sociedade lentamente priva as crianças desse tipo de experiências. Especialmente privilegiando o tempo de atividades guiadas e educativas, normalmente guiadas por adultos.

Então, seguem aqui algumas dicas para cultivar as brincadeiras independentes e a capacidade do seu pequeno de se entreter por conta própria, com a sua imaginação e criatividade:

1. Brinquedo é tudo aquilo com que se pode brincar

A regra geral básica é: brinquedos passivos incentivam brincadeiras ativas. Isso é defendido pela especialista em educação Magda Gerber, criadora do método RIE de criação dos filhos, que valoriza a autonomia e a independência da criança.

Quando expomos as crianças a brinquedos que as entretêm com o apertar de um botão, a parte criativa de seu cérebro não é alimentada. Por isso, a criatividade se desenvolve menos.

Substituir brinquedos tecnológicos com funções únicas por objetos que podem ser usados de diferentes formas incentiva a resolução de problemas. Além disso, encoraja as crianças a usarem a imaginação, deixando-as livres para controlar o jogo.

2. Deixe o espaço de brincadeira livre de telas

É claro que a tecnologia é essencial para a vida do século XXI, mas a presença de telas pode desestimular brincadeiras ativas. Especialmente quando uma TV está ligada no fundo, ou um videogame está disponível logo ali. Por isso é uma boa ideia deixar os tablets e outros dispositivos para outra hora, em outro local.

3. Crie um espaço onde eles possam ficar sozinhos

Certifique-se de que o espaço para brincadeiras é seguro para a criança ficar sem ser supervisionada o tempo todo. Se o adulto ficar observando para o pequeno não se machucar, vai interromper e atrapalhar a brincadeira. Um espaço seguro também permitirá que a brincadeira flua. Assim, o responsável pode aproveitar o tempo para fazer suas próprias tarefas ou descansar sem se preocupar tanto.

4. Ofereça brinquedos que que não demandem ajuda

Se os brinquedos forem muito grandes ou complicados demais para o seu filho brincar sozinho, ele ficará pedindo ajuda. Então, quando você vier e o ajudar, a ideia de que ele não consegue fazer isso sozinho será reforçada.

Certifique-se de que a criança tenha acesso a brinquedos apropriados para a idade dela para poder brincar de forma independente.

5. Não elogie, comente ou avalie

O adulto pode achar que elogios incentivam a criança a continuar na brincadeira, mas na verdade acabam causando inibição. Se você disser a seu filho “Você brincando muito bem”, isso pode diminuir o interesse dele ao invés de ajudá-lo. Não precisa o recompensar e, claro, nunca castigar se ele não brincar. Brincar é uma habilidade inata que as crianças têm, e você só precisa permitir que isso aconteça.

Portanto, brincar sozinho é uma oportunidade de descoberta da independência. O pesquisador e educador Peter Gray, autor de livros sobre o direito de brincar livremente, defende que as crianças têm seus momentos mais felizes quando estão imersas em brincadeiras, sozinhas, sim ninguém as observando ou avaliando. De um modo geral, a avaliação e o monitoramento do adultos inibem o interesse e a satisfação intrínsecos das crianças. Então, quando seu filho está imerso em alguma coisa, não interrompa a não ser que seja necessário. O que ele ganha quando está brincando sozinho é a curiosidade, a autonomia, e a habilidade e de resolver problemas.

E o seu pequeno, consegue brincar sozinho? Como você o incentiva no dia-a-dia?

Conta pra gente nos comentários!

Leia também: É normal a criança mentir? Saiba o que fazer.

17 Responda para “Brincar sozinho é importante! Saiba como e por que…”

  1. Concordo super! Aqui em casa o Raul é filho único então já brinca a maior parte do tempo sozinho! Mas se diverte mto!

    1. Oi Julia! Que bom que o seu pequeno se diverte sozinho. Filhos únicos aprendem a fazer isso desde cedo, e isso é importante para crescerem independentes!

  2. Aqui em casa muitas vezes a Lia brinca um tempão sozinha!! E isso sempre foi um aprendizado para ele e para nós, que sempre temos coisas pra fazer rsrs!!! Concordo!!

  3. TEnho uma filha de 3 anos,mas ela raramente brinca sozinha,ela chama o tempo inteiro eu ou o pai para brincar,o que devo fazer?

    1. Oii Briene!

      Você pode aproveitar as dicas do artigo para incentivar sua pequena 🙂 Algumas coisas que podem ajudar: deixar brinquedos que incentivem o uso da imaginação, deixar o espaço livre de aparelhos digitais (TV, celular), garantir que não tenha nenhum perigo naquele espaço para você não ter que ficar interferindo e assim a brincadeira acontecer. Veja mais ideias no post!
      Um abraço!

  4. Meu filho está com 8 anos, é filho único e embora goste de brincar com outras crianças, também gosta muito de brincar sozinho, sem eu por perto. Confesso que esse artigo me tranquilizou, pois cheguei a achar que houvesse algum problema nisso.

    1. Oii Maria! Obrigada por entrar em contato com a gente 🙂

      Ficamos felizes por saber que o artigo te tranquilizou. É ótimo que seu pequeno goste de brincar sozinho, principalmente se ele também interage com outras crianças quando está acompanhado! Continue o incentivando com tanto carinho.

      Um abraço da nossa equipe!

  5. Meu filho tem 10 anos e brinca muito sozinho ja cheguei a pensar que tivesse algum problema. Confesso que pensei em marcar uma consulta p ele com Neorologista.

  6. Olá, acho que devido às famílias, cada vez mais, optarem por filhos únicos, isso acaba sendo uma realidade. Confesso que ficava meio preocupada, por meu filhos gostar tanto de brincar sozinho, desde pequeno. Ás vezes eu atrapalhava, o chamando para ver um filme ou fazer algo comigo, mas ele dizia e diz até hoje: “não mãe, estou brincando”… Hoje, com 7 anos, vejo o quão criativo ele é, pois fica “mergulhado” nesse mundo dele, pois é de uma imaginação !! Eu hoje, gosto, e acostumei a vê-lo brincar… mas é claro que ele não troca as brincadeiras com os amigos por nada! E isso me deixa mais aliviada!! Acho que realmente essa nova geração é diferente de todas até hoje!! Bjs em todos

  7. Olá, tenho um filho de 5 anos e ele brinca muito sozinho, fico sempre preocupada com isso e tento interferir no seu brincar. Porém vejo que ele apresenta uma pequena dificuldade em se envolver em brincadeiras em grupo. Se estiver com um ou dois amiguinhos até se envolve. Devo me preocupar mais e procurar ajuda?

  8. Meu filho tem quase 5 anos e não suporta brincar sozinho. Isto me deixa preocupada. E fica bem insistente quando digo que não posso brincar naquele momento. Isto me deixa muito cansada.

    1. Oii Renata!
      Poxa, sabemos como é exaustivo para os pais ter os pequenos pedindo por atenção o tempo todo.
      Brincar sozinho é algo que a criança aprende aos poucos. Quando você não puder brincar, explique que naquele momento ele vai se divertir sozinho. Garanta alguns brinquedos ou estímulos em volta e deixe-o lidar com o tédio por um tempinho. Pode ser difícil no começo, mas com o tempo ele vai descobrindo que também é divertido!
      Boa sorte 🙂

  9. Olá, boa noite. Minha filha não brinca sozinha, ela tem 5 anos. Sempre quer que nós brinquemos com ela ou quer brincar com alguém, mas não sabe brincar sozinha. Se não podemos, ela fica sentada no sofé com cara de triste. Eu não sei mais o que fazer. Me sinto muito frustrada e cansada, porque sempre procurei fazer de tudo pra que ela fosse uma criança independente, mas nesse ponto não deu muito certo.

    1. Oii Kelly!
      Poxa, sabemos como isso pode ser cansativo para os pais. Mas não se sinta frustrada por sua pequena ainda não gostar de brincar sozinha!
      É um aprendizado. Quando você não puder brincar, explique porque naquele momento você não pode. Garanta alguns brinquedos ou estímulos em volta e deixe-a lidar com o tédio, ou mesmo com a tristeza por um tempinho. Pode ser difícil no começo, mas com o tempo ela vai descobrindo como se entreter!
      Boa sorte 🙂

    2. Olá Kelly.
      Como estão as coisas por aí, descobriu alguma técnica rs ?
      Por aqui passo pela mesma dificuldade , tento proibir tv e não atender aos chamados do meu filho pra brincar , mas não tá funcionando , ele fica perdido e triste , também me sinto cansada e frustrada por ele não conseguir brincar sozinho

      1. Oi Denise!
        Vemos que essa é uma realidade em muitas famílias, não se sinta só 🙂
        A psicanalista Vera Iaconelli falou sobre isso em uma entrevista ao Huffington Post, dê uma olhada aqui: https://bit.ly/3gr1iQv
        Esperamos que ajude de alguma forma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *